VALORIZAÇÃO: Fávero quer fundo de fomento ao artesanato em MT

PL visa o reconhecimento da profissão e a geração de emprego e renda
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Karen Malagoli

Tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o projeto de lei Nº 784/2019 que cria o Fundo Estadual de Fomento ao artesanato, prevendo formas de financiamento para o desenvolvimento da atividade, proporcionando através disso o reconhecimento da profissão do artesão, ou seja, a atividade profissional de forma manual. A proposta permite a destinação de linhas de crédito especial para o financiamento da comercialização da produção artesanal e para a aquisição de matéria-prima e de equipamentos imprescindíveis ao trabalho artesanal.


O autor da iniciativa alega que a profissão do artesão foi legalmente reconhecida na esfera federa, que define com clarea os conceitos de artesão e os requisitos para que as atividades artesanais possam beneficiar de auxílios do Poder Público. No entanto, ele justifica que a proposta visa regulamentar tal norma no estado, para que os profissionais sejam alcançados por políticas públicas de valorização, qualificação do artesanato, além das formas de financiamentos e linhas de crédito.
“Apoiar o artesanato em Mato Grosso é uma afirmação da identidade cultural regional, que permite a dinamização da economia, a geração de emprego e o fomento dos valores culturais e estéticos das diversas etnias e manifestações populares dos mato-grossenses”, defendeu Fávero ao destacar que, se aprovada a proposta, será criada, também, uma Escola Técnica Estadual de Artesanato, voltada ao desenvolvimento de programas de formação.


O projeto dá ênfase à qualificação permanente dos artesãos e estimulo ao aperfeiçoamento dos métodos e processos de produção. Apoio comercial, identificação de novos mercados em âmbito local, nacional e internacional, certificação da qualidade do artesanato, agregando valor aos produtos e às técnicas artesanais, e sua divulgação. O projeto permite também, que a Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso – Desenvolve MT, a estabelecer condições diferenciadas de acesso às linhas de crédito para artesãos que possuam a Carteira Nacional de Artesão.


A concessão, por parte do Poder Público, de incentivos fiscais e auxílios econômicos para a expansão das atividades, através das instituições administrativas e financeiras também estão previstas do projeto de lei, que se sancionado, ainda permitirá a divulgação do artesanato e taxas de juros inferiores às do mercado ou que possibilitem o acesso ao crédito por parte dos artesãos com baixa renda.


Segundo Fávero, a inciativa valoriza a luta que há muitos anos os artesãos vêm travando. Otimista, Fávero destaca que sua aprovação e sanção governamental é o estímulo que falta para o trabalho do artesão mato-grossense. “Estamos falando de geração de oportunidades, de equipamentos e isto é essencial para que possam melhora a comercialização do seu produto, além de proporcionar uma vida mais digna, através de apoio estadual”, defendeu o autor da propositura.

Assessoria

equipefavero

equipefavero

Deixe o seu comentário