EDUCAÇÃO: Após promulgação Federal, Silvio Fávero articula derrubada de veto para implementar Fundeb Transparente

Projeto de Lei que propõe a criação do portal Fundeb Transparente foi vetado pelo Governo do Estado
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Foto ALMT

Após passar pela aprovação do Senado Federal, o Congresso Nacional promulgou na última quarta-feira (26.08), a Emenda Constitucional n°108, decorrente da PEC n°26/2020, que determina a instituição em caráter permanente do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Em Mato Grosso, o deputado estadual Silvio Fávero é o autor do Projeto de Lei nº 632/19 que cria o “Fundeb Transparente”, vetado pelo Governo do Estado. A proposta do parlamentar propõe a criação de um portal de transparência, onde deverão ser disponibilizadas as informações relativas à aplicação dos recursos do Fundeb no Estado de Mato Grosso.

Com a reivindicada implantação desse sistema, as informações relativas à execução orçamentária e financeira dos recursos do FUNDEB deverão estar virtualmente disponíveis para acompanhamento e fiscalização de qualquer pessoa interessada, visando transparência e maior controle social na aplicação dos recursos públicos.

A proposta aprovada também aumenta a complementação de recursos pela União, distribui percentual do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos municípios com melhoria na aprendizagem, e assegura a participação da sociedade no planejamento das políticas sociais.

Para Silvio, a promulgação da Lei Federal, reforça a necessidade da implantação do Fundeb Transparente em Mato Grosso, a partir da derrubada do veto do governo realizado no início de julho.

“Esta é mais uma razão para entrar em vigor no estado de Mato Grosso o Projeto de Lei do Fundeb Transparente, de minha autoria, proporcionando una maior participação da sociedade na aplicação e fiscalização desses recursos.”, frisou o deputado, que se articula na Assembleia Legislativa para a derrubada do veto.

FUNDEB PERMANENTE

A PEC torna permanente o Fundeb, que, pela legislação atual, acabaria no fim deste ano. Também aumenta dos atuais 10% para 23% a participação da União no Fundo. Essa participação será elevada de forma gradual: em 2021 começará com 12%; passando para 15% em 2022; 17% em 2023; 19% em 2024; 21% em 2025; e 23% em 2026.

Os valores alocados pelo governo federal continuarão a ser distribuídos para os entes federativos que não alcançarem o valor anual mínimo aplicado por aluno na educação. Da mesma forma, o fundo continuará recebendo o equivalente a 20% dos impostos municipais e estaduais e das transferências constitucionais de parte dos tributos federais.

Assessoria

Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa

Deixe o seu comentário