AGORA É LEI: Sancionada Lei de Silvio Fávero que institui campanha Idosos Órfãos de Filhos Vivos

Sempre em defesa dos idosos, o deputado estadual Silvio Fávero é autor de outras leis e projetos voltados a melhoria da qualidade de vida da terceira idade.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print
Foto: ALMT

O Diário Oficial que circulou nesta quarta-feira (30) destaca a Lei nº 11.281/20, de autoria do deputado estadual Silvio Fávero, que institui a criação da campanha Idosos Órfãos de Filhos Vivos.

Sempre em defesa dos idosos, o deputado estadual Silvio Fávero criou esta Lei para promover a sensibilização sobre os cuidados com os idosos e alterar sobre as consequências da prática de abandono no estado de Mato Grosso.

“Não há nada mais triste do que ver pais e mães, já idosos, amargando o abandono com filhos vivos! Foi pensando naqueles que padecem de amor, carinho, atenção e de condições básicas para sobrevivência que desenvolvemos essa Lei para reforçar as políticas públicas em defesa dos idosos”, justificou Silvio.

A iniciativa de Fávero teve como base a Lei 10.741/03, que trata do Estatuto do Idoso, o qual disciplina a obrigação de cuidar da pessoa idosa. O parlamentar destaca os artigos 229 e 230 da Constituição Federal (CF), que diz que “os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade; bem como defender sua dignidade e bem-estar, garantindo-lhe o direito à vida, reconhecendo seu dever”.

De acordo com a nova Lei de Fávero em vigor, vigésima Lei autoral do deputado a favor de Mato Grosso, a campanha deverá ser feita em escolas públicas, palestras abertas à sociedade, panfletos orientativos e demais ações pertinentes que esclareçam a população sobre os cuidados com os idosos.

As campanhas deverão ser realizadas anualmente na primeira semana do mês de outubro, tendo em vista que no dia 1º é comemorado o Dia Internacional do Idoso, instituído pela Organização das Nações Unidas em 1991.
 
“Casos de maus-tratos e abandono, infelizmente, são cada vez mais constantes na nossa sociedade marcada pelo individualismo. São casos chocantes e inadmissíveis. Sensibilizar é preciso!”, argumentou Fávero, que teve como marca a alta produtividade no ano de 2020, e, desde já, com dezenas de projetos em tramitação com expectativa de serem sancionados no início de 2021.

Assessoria

Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa

Deixe o seu comentário